AGROPACTO DISCUTE MUDANÇAS NA VACINAÇÃO DA FEBRE AFTOSA A ECONOMIA SERÁ DE 5 MILHÕES DE REAIS/ANO

A vacinação da febre aftosa no Ceará  vai mudar a partir de 2021, onde o Ceará busca atingir o status de livre da doença sem vacinação, como já ocorre em outros estados do país. Foi o que disse o Diretor de Defesa Animal da Agência de Defesa Agropecuária- ADAGRI, José Amorim Sobreira , durante palestra que realizou nesta terça- feira,12, durante a reunião do Pacto de Cooperação da Agropecuária Cearense- AGROPACTO, promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará-FAEC , no auditório da Associação dos Criadores do Ceará- ACC dentro da programação  da 65° EXPOECE- Exposição Agropecuária  e Industrial do Estado do Ceará .Ele  explicou sobre  as vantagens da nova sistemática para o produtor e para o estado que juntos vão economizar cerca de 5 milhões de reais / ano e ainda poder exportar sem dificuldade seus   produtos. No entanto, conforme disse , se faz necessário muitas  ações de transição , como promover a educação e comunicação em saúde animal, promover a intersetorialidade entre instituições..

Segundo Amorim Sobreira para chegar a esse status ainda ocorrerão pelo menos mais duas  etapas  de vacinação em 2020, em maio e novembro, por isso a ADAGRI já  está trabalhando a intersetorialidade das ações com diversos órgãos  que vão fazer parte do  Comitê Gestor formado por 10 instituições , entre elas a FAEC, FIEC,  APRECE, Secretarias Municipais de Agricultura, SEDET, SDA, SEFAZ, FETRAECE, CONSELHO DE MEDICINA VETERINÁRIA.

 

O presidente do Sistema FAEC/ SENAR/ CE , Flávio Saboya que coordenou a reunião do AGROPACTO, destacou a importância deste trabalho do governo do Estado via ADAGRI, que  está se desenvolvendo  também com o apoio do Ministério da  AGricultura  e Pecuária- MAPA. Iremos apoiar através de nossos sindicatos rurais espalhados por 11 regiões administrativas do Estado, disse Saboya. O presidente da FAEC recebeu um troféu da EXPOECE, das mãos do presidente da Associação dos Criadores do Ceará – Walfrido Monteiro, em reconhecimento as sua atuação como presidente daquele entidade durante nove anos.,

A presidente da ADAGRI , Vilma Freire registrou a importância do Agropacto estar debatendo este assunto dentro da EXPOECE, local onde os produtores estão reunidos até domingo na maior feira agropecuária do Estado. Ela prometeu , que a ADAGRI, deve lançar em breve a Guia de Transporte Animal- GTA, através do whatsapp, após três minutos do pedido do produtor, e informou que a ADAGRI já dispõe de um moderno aplicativo  PEC SAÚDE  ANIMAL para receber todas as notificações dos produtores, que podem também usar as redes sociais e o whatsapp

Ela anunciou que será firmado em breve , um convênio de cooperação com a APRECE e com a FAEC e que  no dia 19, haverá uma audiência pública na Assembleia para discutir esse tema.

 

PRODUTORES E DIRIGENTES OPINAM SOBRE A MEDIDA .

O  presidente da ACC, Walfrido Monteiro  destacou que para o Ceará será muito bom ficar livre da febre aftosa sem vacinação, uma das vantagens é  possibilitar exportar para vários países bem como  fortalecer a parceria público- privada destacando que a Adagri tem sido um grande parceiro do produtor e que  o sonho é ter uma GTA( Guia de Transporte Animal)  em 15 minutos pelo watsap.  O  monitoramento pelo produtor é importante e nós vamos ajudar, disse Wakfrido.

Bessa Junior, representante da FIEC  disse que para  a indústria é importante esse acesso conseguiremos acrescentar algo mais no nosso produto, é fundamental estarmos unidos com o agro e fortalecer cada vez mais a ADAGRI. Ele sugeriu um debate sobre os abatedouros.

Alguns  produtores também deram seus depoimentos como Dalvaro Jales Paixão, criador de gado Jersey , Manoel Berlarmino , da Fazenda Sossego ,  em Maranguape , o presidente da  Associação dos Suinocultores, Paulo Helder Braga,  o representante da SEDET, Hélio Chaves,  todos hipotecando apoio a iniciativa do governo do Estado. Hélio Chaves, representante  da  SEDET, destacou a importância do Agropacto ser realizado dentro da Expoece e sua importância para a agropecuária do Ceará trazendo mais de 4 mil animais para a exposição.  Lembrou a figura do Dr Geraldo Magela  que foi diretor da ACC por 22 anos e Paulo Helder Braga, por 4 anos.

O representante da APRECE, Expedito Ferreira, disse que seu município Piquet Carneiro, sempre bateu a meta de 1000% da vacinação e  que a Aprece quer dar sua colaboração, onde cada município vai ter um representante. para fazer esta parceria.

Paulo Helder Braga da Associação enfatizou  a importância da união das associações  citando como exemplo, a recente praga  de peste Suìna no Ceará, que só foi erradicada , graças à pronta ação da ADAGRI, dos produtores e de associações de Suinicultores de vários estados do Brasil, que colaboraram com a aquisição de novos animais para aqueles produtores que tiveram que sacrificar seus animais.

 

O que muda com a retirada da vacinação:

Conforme disse Amorim Sobreira, várias ações terão que ser desenvolvidas até 2020  , mas para que haja segurança na mudança do status de zona livre  da febre aftosa sem vacinação o produtor e as instituições envolvidas terão que trabalhar na  Atualização do rebanho , na notificação espontânea do produtor de qualquer manifestação da doença, declaração de morte imediata  , transitar com  documentação exigida, aumentar a integração entre produtor e Adagri.