Técnicas e estratégias para produção de abelhas sem ferrão despertam interesse de produtores rurais, em Aquiraz

Produtores rurais, representantes sindicais participaram, na última quarta-feira, 28, de uma oficina sobre apicultura no Meliponário São Francisco, em Aquiraz. O encontro foi articulado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) com o objetivo de fortalecer a cultura em todo o Ceará.
O Meliponário São Francisco é referência na cultura da abelha sem ferrão e oferece alimento com fartura para os enxames o ano todo, devido a estratégia agroflorestal implementada por Francisco Ximenes, proprietário do Milionário São Francisco, em Aquiraz, que cultiva 12 espécies de abelhas em mais de 5 hectares. O espaço foi pensado para a preservação da área da propriedade e o bem-estar das abelhas com arbustos e árvores que florescem em diferentes épocas, favorecendo a apicultura.
De acordo com Francisco Ximenes, houve um despertar praticamente no mundo todo com o intuito criar abelhas comercialmente ou para a produção de mel. Alguns ainda por hobbie e outros para contribuir com a preservação do meio ambiente”, ressalta o senhor Ximenes, como é conhecido no local.
Abelhas e o ecossistema
Indispensáveis para o equilíbrio dos ecossistemas, as abelhas durante a sua busca por alimentos, polinizam plantações de frutas, legumes e grãos. A polinização é responsável pela reprodução de 80% das plantas e cerca de dois terços dos alimentos que ingerimos são produzidos com a ajuda da polinização das abelhas. Por este motivo que os produtores têm procurado agregar à apicultura para aumentar a produtividade de culturas já existentes.
“Toda a propriedade do sr. Ximenes é manejada para as abelhas. O objetivo principal é a produção de abelhas, aproveitando a mata nativa e com o incremento de alguma plantas cultivadas. Isso ajuda muito às colônias que têm nesta área”, ressalta a zootecnista e presidente da Associação Cearense de Meliponicultores, Hiara Meneses.
Pode ser uma imagem de uma ou mais pessoas, pessoas em pé, árvore e ao ar livre
Técnicas de manejo despertam interesse de produtores cearenses 
Mirian Costa, produz mandioca e caju, em Aracati, garante que as estratégias aplicadas na propriedade é de grande relevância para as outras comunidades. “É tudo tão bonito. Queremos levar esse conhecimento para as propriedades dos amigos produtores que trabalham com apicultura e outras culturas, pois esse trabalho é correto e utiliza as técnicas corretas”, disse.
Segundo o presidente do Sinrural de Aracati, Antônio Kaminski, está aproveitando bastante a visita de campo para compreender o comportamento de algumas espécies de abelhas sem ferrão. “São espécies importantes para a nossa região e tivemos a oportunidade de trazer alguns produtores que possuem o interesse em implementar essas técnicas para elevar a produção de culturas já existentes em suas propriedades rurais” completa.
O presidente do Sinrural de Beberibe, Tadeu Colaço, reafirma a importância das abelhas sem ferrão na região, demonstrando interesse para implementar as técnicas e estratégias também com os produtores beberibenses.
O presidente da Faec, Rodrigo Diógenes, destaca o papel do Sistema Faec/Senar de fortalecimento do elo entre a tecnologia e a inovação junto aos produtores para tornar uma atividade comercial, aproveitando todo o potencial da flora cearense.
Confira o vídeo: