SISTEMA FAEC/ SENAR FAZ PESQUISA PARA LEVANTAR DADOS SOBRE OS IMPACTOS DO CORONAVÍRUS

O  Sistema FAEC / SENAR  lançou uma pesquisa rápida que visa levantar informações sobre os principais impactos do coronavírus em cada um dos segmentos produtivos da  agropecuária cearense. Nesse sentido, o presidente do Sistema FAEC/ SENAR, Flávio Saboya, disponibilizou a pesquisa nas redes Sociais e enviou a todos  os presidentes de sindicatos rurais e produtores  filiados à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará – FAEC.
É  um questionário simples, cujo objetivo é colher informações para ser possível contribuir com estratégias que possam amenizar esses impactos e dificuldades que podem recair sobre o negócio de cada produtor, disse o Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará- Flávio Saboya.
A pesquisa  quer saber, por exemplo, o  nível de ansiedade do produtor em relação ao coronavírus, o impacto na diminuição das vendas e se a safra foi ou não prejudicada, especificando o principal motivo por essa perda. Busca, também, identificar do produtor quais as medidas que ele adotou para o enfrentamento ao coronavírus, bem como qual a perspectiva dele para os próximos três meses ( abril, maio e junho), e qual será a principal dificuldade do setor, com suas repectivas e possíveis medidas a serem adotadas para amenizar os impactos negativos da crise gerada pelo COVID-19.
A pesquisa que deve ser respondida pela plataforma digital, leva apenas um minuto e foi desenvolvida pela Assessoria Especial da presidência, José Bezerra Neto, juntamente com o Serviço  de Tecnologia da Informação do Sistema FAEC/SENAR.  A pesquisa encerrará no dia 20  de  abril, quando completará 20 dias. Bezerra Neto afirmou que é de extrema importância a busca de informações que reflitam as intenções e anseios do produtor rural, por isso torce para que a pesquisa tenha um bom número de adesões.
A intenção é se embasar em números, os mais concretos possíveis, para auxiliar nas ações que o Sistema FAEC/SENAR realiza em prol do produtor, como, por exemplo , quando requereu ao  governo federal a ajuda emergencial de  R$600,00 para os trabalhadores rurais que vivem em regime de economia familiar, não tendo vínculo empregatício.