SISTEMA FAEC/SENAR DISCUTE COM SEDET E ADAGRI NOVA TEMÁTICA DO PROGRAMA AGRINHO 2022 e SELO ARTE

       Defesa Agropecuária com foco na Saúde Animal, esse deverá ser o tema central do Programa AGRINHO em 2021. Nesta quarta-feira, dia 7, ocorreu uma reunião na sede o Sistema FAEC/SENAR, com a participação do Presidente da FAEC, Flávio Saboya, do Superintendente do SENAR- Sérgio Oliveira da Silva, Diretoria Técnica, Ana Kelly Cláudio, Coordenadora Estadual do Agrinho, Germana Moreira e da Coordenadora Técnica do SENAR, Carolina Machado. Pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Governo do Estado-SEDET, participaram o secretário executivo de agronegócio, Silvio Carlos, a Presidente da Agência de Defesa Agropecuária- ADAGRI, Vilma Freire e os técnicos David Caldas, Galyciane Rodrigues, Neiliane Santiago Sombra. A reunião contou ainda, com a participação do Presidente da Câmara Setorial do Leite junto a ADECE, Raimundo Berlamino.

 Na ocasião, foi apresentada toda a metodologia de atuação do Programa AGRINHO que vem sendo desenvolvido há 18 anos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural- Senar-CE,  onde a cada ano, é escolhido um tema para abordagem com os alunos das escolas municipais da zona rural.  O tema de 2020 foi sobre Cooperativismo : AGRINHO DE MÃOS DADAS COM O COOPERATIVISMO” destacou o Presidente da FAEC, Flávio Saboya, que  foi o responsável pela implantação do Programa AGRINHO no Ceará, durante sua gestão como Superintendente do SENAR, considerando como necessário o novo tema sobre Defesa Agropecuária.

Para o Superintendente do SENAR, Sérgio Oliveira da Silva, Saúde Animal é um tema importante, pois representa segurança, tanto para o proprietário,  como para a população de um modo geral, que consome os produtos de origem animal,  e as crianças e adolescentes  são importantes vetores de divulgação junto aos  seus  pais.  A diretora Técnica do SENAR, Kelly Claudio,  disse que o AGRINHO já trabalhou durante esses 18 anos, muitos temas importantes como Meio Ambiente, Saúde, Trabalho e Consumo e que esse da Defesa Agropecuária, dará mais uma grande contribuição â educação do homem do campo.

O secretário executivo da SEDET Silvio Carlos Ribeiro considera que o tema Saúde Animal e Defesa Agropecuária é de fundamental importância, pois vai sensibilizar desde cedo os filhos e os agricultores a adotarem boas práticas no setor agropecuário, com a preocupação na qualidade dos alimentos e do meio ambiente. Já a Presidente da ADAGRI, Vilma Freire, disse que o Projeto AGRINHO, agrega valor ao trabalho de defesa agropecuária, sanidade animal e vegetal, onde levaremos ao público infanto-juvenil, que hoje se encontra distante, e que precisa de amplo conhecimento sobre os programas da ADAGRI, por isso é muito importante  essa parceria com o Sistema FAEC/SENAR, disse Vilma  Freire.

 

O SELO ARTESANAL DO BRASIL- SELO ARTE TEM COMO OBJETIVOS:

Permitir a comercialização interestadual dos produtos certificados

Agregar valor aos produtos por intermédio de um selo de qualidade que valoriza a tradição, o regionalismo e a cultura.

Promover o desenvolvimento dos pequenos e médios produtores

Estimular a regularização dos estabelecimentos irregulares e que produzem de forma artesanal

Oferecer aos consumidores produtos alimentícios artesanais com qualidade sanitária regulada pelos órgãos oficiais de inspeção

Aumentar a oferta de produtos artesanais de qualidade e procedência asseguradas. Em fase avançada o desenvolvimento e construção

LEIS QUE REGULAMENTAM O SELO ARTE 

Foi instituído pela Lei 13.680 de 14/06/2018 regulamentado pelo Decreto 9.918 de julho de 2019. Regulariza os produtos alimentícios de origem animal. Desde que sejam produzidos de forma artesanal.

IN n°67, 10/12/2019, estabelece os requisitos para que estados e o distrito federal realizem a concessão do selo arte aos produtos alimentícios de origem animal produzidos de forma artesanal.

IN n° 73 de 23/12/2019, regulamento técnico de boas práticas agropecuárias destinadas aos produtores rurais fornecedores de leite para a fabricação de produtos lácteos artesanais, necessárias à concessão do Selo Arte.

Para se enquadrar:

Usar matérias primas de produção própria ou de origem determinada, técnicas prioritariamente manuais, mantendo as características tradicionais, culturais e regionais.

As prioridades rurais devem comprovar o atendimento das boas práticas agropecuárias. Está inscrito em um serviço de inspeção municipal ou estadual (SIM ou SIE)