Grupo produtivo do leite discute a problemática com a SEDET

O secretário executivo do agronegócio da Secretaria  do  Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Governo do Estado do Ceará-SEDET, Silvio Carlos Ribeiro , esteve no último dia  15 /05  , na sede da Federação das Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará,- FAEC ,  para uma reunião de avaliação das  propostas do setor produtivo do leite junto à SEDET.  Essa é a terceira reunião do ano, e segundo Silvio Carlos,  as demandas apresentadas  em fevereiro ultimo pelo grupo capitaneadas pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará-FAEC, estão sendo  avaliadas e a partir de junho, muitas delas deverão ser implementadas.

Segundo o presidente da FAEC, Flavio Saboya as primeiras demandas  foram encaminhadas ao Secretário da SEDET, Maia Júnior e outras estão surgindo aos poucos, e uma delas é a organização da cadeia produtiva, apoio na comercialização e  formação de grupos  de produtores  da cadeia do leite, para receber a Assistência Técnica e Gerencial do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural, visando   preparar  cada vez mais os produtores.

Entre as ações debatidas nesta reunião , estão  o lançamento de  uma campanha de valorização do leite e seus derivados  produzidos no Ceará , atração de novas industrias,  revitalização dos pequenos lacticínios, isenção do ICMS do queijo mussarela. Também foi discutida a criação da taxação de produtos de outros estados, a exemplo do que já fez os estados de Pernambuco e da Bahia.

O presidente da Câmara Setorial do Leite junto a ADECE, José Antunes Mota, deu conhecimento ao grupo de um projeto de lei que está sedo analisado na Assembleia Legislativa , que trata da  “‘Produção e Comercialização do Queijo Qualho Artesanal”, que recomendou  fosse analisado pelo governo com a participação do setor produtivo. Já o Presidente da Câmara Setorial do Agronegócio, Amilcar Silveira, chamou a atenção para uma maior fiscalização do leite in natura  comprados pelas indústrias.  Os presidentes dos Sindicatos rurais de Quixadá, Fausto Nobre e Quixeramobim, Cirilo Vidal, que integram o grupo de trabalho, falaram, das dificuldades dos produtores com a super safra do leite no Estado, tendo que vender o produto a preço menor do que os custos de produção, o que requer uma reorganização da comercialização do produto , com o apoio do Governo do Estado.   Segundo Cirilo Vidal, o custo do leite para o produtor está em torno de R$ 1,20  e o produtor está vendendo o litro  por R$1,03.  O   engo agrônomo Zuza de Oliveira, ex-presidente da ADECE e assessor do senador Eduardo Girão, e o Presidente do Sindilacticinios, Henrique Girão também participaram  da reunião.

Uma nova reunião  foi agendada para o dia 13 de junho, durante a realização do Pecnordeste, no Centro do Eventos, uma promoção do Sistema FAEC/SENAR/SINRURAl e SEBRAE-CE, com o apoio de vários  parceiros.