Empresa EBBA apresenta ações no AGROPACTO e quer ampliar área de produção de frutas no Estado

A EBBA/ Britivic-Empresa Brasileira de Bebidas e Alimentos,  multinacional que tem sede em Aracati  e em mais três  cidades do Triângulo Mineiro, sendo  a maior empresa de bebidas não alcoólicas e processadora de frutas do Ceará, que engloba a Maguary , Jandaia, Ducoco e Dafruta ,  apresentou nesta terça-feira, dia primeiro de outubro, durante reunião do Pacto de Cooperação da Agropecuária Cearense- AGROPACTO , promovido pelo  Sistema FAEC/SENAR-CE,  suas ações e projetos futuros, que inclui uma ação de fomento  para ampliação da produção de  acerola e introdução de novas culturas como  maracujá, açaí e manga, no Ceará . Segundo o engenheiro agrônomo e coordenador de compras do agro EBBA, Antonio Izzo  que apresentou à empresa .   A  EBBA atua  no sistema de parceria com cerca de 90 produtores no Ceará , produzindo acerola em cerca de 200 hectares na Região do Vale do Jaguaribe, num raio de até 200 km partindo de Aracati,  mas pretende ampliar essa área de produção  para 500 hectares e também trabalhar com outras culturas, o que poderá ampliar ainda  o raio de atuação para até 700 km, no caso da cultura do maracujá e goiaba.

A idéia é  estabelecer  uma  parceria, através de um convênio com o Sistema FAEC/SENAR –CE e os sindicatos rurais,  envolvendo grupos de  produtores, onde o SENAR atuará  dando suporte na área  da assistência técnica e gerencial , e a  FAEC na organização desses produtores   que  se comprometem  a vender toda a produção para a empresa,  disse o vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuária , Rodrigo Diógenes,  que coordenou a reunião e  esteve  em visita a sede da EBBA em Aracati. Estamos formatando um grupo de trabalho para concretizar a parceria, que será muito importante tanto para a empresa como para os produtores que terão como principais vantagens compartilhar conhecimento, melhorar sua produtividade, e ter uma garantia de 100% da produção, facilitando receita o ano todo, por um preço mínimo garantido e assistência técnica gratuita especializada, disse Rodrigo Diógenes.

Conforme Antonio  Izzo, a grande vantagem dessa parceria com o produtor é que ele investe sabendo qual será o retorno mínimo, ficando a empresa inclusive responsável pelo transporte e sacaria telada gratuitamente e mudas de  qualidade da variedade. Indagado sobre o custo que o produtor terá para implantar um hectare de acerola, a engenheira agrônoma Mayara de Sousa Silva, líder de campo da EBBA, disse que o custeio no primeiro no é da ordem  de R$ 12 mil reais, mas que vai diminuindo proporcionalmente, até chegar  ao terceiro ano, quando a cultura pode a uma produção  a 30 toneladas, lembrando que a acerola começa a produzir em apenas seis meses . O coordenador do Agronegócio da Agencia de Desenvolvimento do Estado-ADECE, Amilcar Silveira manifestou sua preocupação com relação ao pagamento pela empresa do produto, a fim de que o produtor tenha  segurança nos investimentos.

Doutores do Sertão

Na ocasião, o dirigente da Agro EBBA informou ainda, que a empresa tem interesse em investir no projeto de sucessão familiar no campo  “ Doutores do Sertão “ , apresentado pela FAEC, através do Sindicato Rural de Moraújo, aproveitando os alunos do Instituto Federal de Educação.    Elder Aguiar, presidente do Sinrural de  Moraújo  esteve presente à reunião quando falou da importância de formar novos empreendedores no campo, que está com sua população envelhecendo a cada dia. Ele lembrou que o AGRONORDESTE, lançado hoje, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento-MAPA , também  está  apoiando a inclusão do programa Doutores do Sertão , conforme disse o  seu coordenador   Danilo Forte, que   esteve recentemente na seda da FAEC  quando ouviu as propostas do setor produtivo cearense.

 Os presidentes do Sinrural de Ibaretema, Carlos Bezerra Filho  e  de Horizonte , Franzé de Sousa, este último , que  representou também  a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Governo do Estado-SEDET,  manifestaram também interesse na parceria com a empresa EBBA, na produção de frutas, e solicitaram uma visita  àquelas cidades.  Já o produtor de caju, Sebastião Ribeiro, de Ocara,  não só destacou a importância da parceria com a EBBA, o que  dá uma garantia de produção e de logística, manifestou sua preocupação com o preço mínimo praticado na compra do caju, que segundo ele, poderia  ser melhorado .

A reunião contou  com a participação de representantes do BNB, Sebrae, Adece, Sedet, SAS(Ematerce), Embrapa , produtores e presidentes de sindicatos de vários municípios .

Contato do Antonio Izzo: da EBBA – 88-3421.14.07- antonio.izzobritivic.com

 Contato : Rodrigo Diógenes-3535-8000-9-907-4645