AGROPACTO: Projeto Estratégico da UFC prevê reuso da água do esgoto para fins de irrigação no Nordeste

O esgoto vai ser a matéria prima do futuro. O que era poluição virou uma oportunidade de negócio para o campo, principalmente na área de irrigação e piscicultura. Foi o que afirmou o  professor e pesquisador José Osvaldo Bezerra Carioca (Osvaldo Carioca), do Centro de Ciências Agrárias da  UFC, que desenvolveu em cooperação com o CNPQ e a FAO uma planta piloto de utilização de microalgas na limpeza da água de esgoto e um modelo de Biorrefinaria, que está inserido no Programa das Nações Unidas para o meio Ambiente (PNUMA).

Ele foi o convidado da reunião quinzenal do Pacto de Cooperação da Agropecuária Cearense- AGROPACTO, realizado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará –F AEC , quando apresentou  o projeto Estratégico para prover água de reuso para fins de irrigação no Nordeste Brasileiro, apresentado também no Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI). O Superintendente de Sustentabilidade da CAGECE, Ronner Braga Gondim,  também  foi palestrante, quando apresentou o Projeto de Reuso da Água  daquela Companhia.

O  Presidente da FAEC, Flávio Saboya destacou a importância da temática abordada pelo AGROPACTO, que reúne os produtores e lideres do agronegócio, na busca de avançar e legitimar essa atividade no Estado. O professor Osvaldo Carioca é um pesquisador devotado, têm os estudos que comprovam que a tecnologia de Biofilme (conglomerados de bactérias, fungos, algas ou produtos de corrosão) permite o reuso da água e é aplicável em pequenas e médias cidades, oferecendo para a região Nordeste, oportunidades de negócios que tornam o saneamento economicamente viável”, disse  Flávio Saboya. O encontro contou a com a presença de representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, do  Meio Ambiente, FIEC, SDA, SENAR, ADECE, BNB, SEBRAE, produtores e presidentes de Sindicatos Rurais.

A CAGECE, por outro lado planeja a absorção da tecnologia de Biofilme para promover o saneamento sustentável no estado do Ceará, para tanto, espera-se o apoio do MCTI para a implantação de uma planta de demonstração, para posterior difusão regional.

Paralelamente a CAGECE vem desenvolvendo esforços com a FINEP e o banco KFW no sentido de obter financiamento com o intuito de difusão tecnológica e aumentar a produção agroindustrial no semiárido;  O  superintendente de sustentabilidade da  CAGECE  questionou as restrições legais sobre o  reuso da água para diversas finalidades, mas o professor Osvaldo Carioca, apresentou como alternativa toda a legislação internacional da  EPA- Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, da Organização Mundial da Saúde- OMS, e da FAO- Organização das  Nações Unidas que trata da produção de alimentos

Segundo o professor Osvaldo Carioca,  que pesquisa o tema há seis anos, a água para nós é fundamental  e estudos da FAO  comprovam a deficiência relacionada a escassez de água no planeta , onde  já temos um déficit de 2,8 milhões de m3 d’água , que chegará em 2050, ao déficit  de 4 milhões de m3. Conforme disse, o semiárido nordestino possui uma grande vulnerabilidade social , com precipitações médias abaixo de 600 milímetros. .

Conforme dados apresentados por ele,  o semiárido nordestino brasileiro compreende 28% da área total do Brasil (1.561.177 Km2), com 53,5 milhões de habitantes, que sofrem fenômenos de seca há séculos. Portanto, as necessidades de água para a produção agrícola são um dos problemas mais sérios. A radiação solar diária global, média anual no Ceará atinge um valor de 20 MJ / m2/dia. O trabalho foi  desenvolvido em cooperação com o professor Sávio Macambira da UFC , e com  professor Raimundo Benvindo, do Instituto Federal de Educação..

Em sua exposição, o professor Osvaldo carioca destacou o perfil da coleta de água de esgoto no Brasil, no Nordeste e no Ceará. No caso do Ceará, a coleta de esgoto é da ordem de  33% , grande manancial de água que pode ser tratado e disponibilizado para a agricultura

Na contramão da história, tem um potencial enorme de esgoto a ser pensado e trabalhado,  disse o professor     Somente, o estado do Ceará tem um manancial de água enorme a ser pensado para  reutilização. • Para a região Nordeste, esta tecnologia se adapta às condições climáticas, para se obtiver altos rendimentos de Biomassa Algal, o que tem forte reflexo na economia; O pesquisador que foi professor visitante na Alemanha,  apresentou diversos modelos de plantas  e as principais tecnologias utilizadas em vários países, especialmente nos Estados Unidos  , tomando como exemplo o Estado da Califórnia , onde 900 km quadrados de área poluída são reaproveitadas na criação de tilápia. Somente na Costa Leste dos Estados Unidos, são produzidos 33 milhões de galões  de água  para reuso, o que significa 120 mil litros por dia . Ele apresentou as tecnologias de  Biofilme , produtos derivados de microalgas e a   Microbial Eletrochemical ( economia de hidrogênio) como a tecnologia do Futuro, onde água SAE depurada  e produz hidrogênio ,( etanol, biodiesel) e ainda pode ser dessalinizada. Em suas conclusões o professor Osvaldo carioca disse que projeto FAO/PNUMA/UFC, inova nos aspectos de políticas públicas para atender a fragilidade da região para a redução da pobreza rural vulnerável (VRPP) como a adaptação às mudanças climáticas regionais. Para tanto se espera o apoio financeiro, disse ele.

CAGECE APRESENTA PROJETO DO CENTRO DE PESQUISA E REUSO DA ÁGUA

O Superintendente de Sustentabilidade da CAGECE, Ronner Braga  além de ter corroborado com o projeto do professor Osvaldo Carioca, apresentou o novo projeto do Centro de Pesquisa se Reúso de água em Aquiraz, que  está em fase de licitação, orçado em 13 milhões de reais. O centro disporá de laboratórios de produção de muda, sementes unidade de demonstração.

Ele informou que  CAGECE  vem desde 2010 numa fase de maturação dos projetos com estudos aplicados ao reuso na irrigação por gotejamento, aproveitamento do esgoto e estudo do potencial de reuso, inclusive nos municípios de  Catarina, Jaguaribara, Mauriti e Iracema.  Segundo  Roner Braga, temos 766 lagoas de estabilização no Estado, que geram 90.000 m3 de água/dia ou aproximadamente 1.40 litros/por segundo,  embora apenas 52 sistemas estejam adequados ao reúso.

Ele questionou, alguns aspectos da atual legislação, como por exemplo, se a concessionária pode vender ou doar esgoto, se esse serviço deve ser regulado ou se os órgãos públicos devem fazer chamamento público para fornecer .

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) avança em mais um projeto de reuso. Desta vez, com o propósito de abastecer o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). O projeto, realizado em parceria com a empresa francesa Suez, está em fase de conclusão dos estudos de viabilidade econômica. Os testes realizados pela companhia já foram concluídos e geraram resultados satisfatórios em termos de parâmetros de qualidade da água para abastecimento das indústrias. A iniciativa busca implantar uma estação móvel de água de reuso no CIPP para produzir cerca de 110 litros por segundo de água para abastecer as empresas, de forma que a mesma quantidade em água bruta que hoje atende o complexo seja priorizada ao abastecimento humano.