AGROPACTO: BNB apresenta resultados de aplicações no agronegócio

O Superintendente Estadual do  Banco do Nordeste do Brasil,  Rodrigo Bourbon Nava de Oliveira,  apresentou nesta terça-feira,  6, no  Pacto de Cooperação da Agropecuária Cearense- Agropacto, promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará- FAEC,  os resultados  sobre  atuação do Banco do Nordeste no Ceará, e sobre o Plano Safra 2019. Segundo ele, até julho de 2019 o Banco já aplicou 330 milhões na agropecuária cearense. Ano passado, foram 538 milhões. Segundo Rodrigo Bourbon, a expectativa é que as aplicações deste ano superem a 10% em relação ao ano passado. E anunciou um novo projeto BNB AGRO Inovação, que permite o produtor adquirir drones, antenas para conexão à internet, energia limpa entre outros equipamentos. Presentes ainda, a gerente executiva da Superintendência Regional do BNB, gerente da Central de Agronegócio, Leonardo Bruno e os facilitadores do curso de projetista , Almir Ribeiro e Ricardo Mesquita, produtores, presidentes de sindicatos rurais, representantes da ADECE, SEDET, Ematerce, SDA, SENAR-CE, secretários de agricultura de Marco e Viçosa do Ceará ,  entre outras instituições.

O presidente da FAEC, Flávio Saboya que abriu o Agropacto  destacou a importância da parceria do BNB com o Sistema CNA e Federações do Nordeste. Ele também aproveitou para convidar a todos para participarem da audiência publica sobre a revitalização do DNOCS, que será realizada na próxima sdegunda-feira, dia 12, às 9 hs, no auditório das Comissões Técnicas da Assembleia Legislativa,

Ainda hoje,  o BNB através de uma parceria com a CNA e Federações do Nordeste, iniciou  no Ceará uma capacitação de projetistas, de dois dias para 21 Técnicos  de diversos Sindicatos Rurais que irão trabalhar com projetos voltados para o agronegócio.O Curso está sendo  ministrado na sala de Tecnologia da Informação do Sistema FAEC/ SENAR- CE e foi aberto pela Diretora Técnica Ana Kelly Cláudio e pelo Coordenador do Programa de Assistência Técnica e Gerencial, Eduardo Barroso.

Em sua palestra, o superintendente estadual disse que o Banco do Nordeste vem fortalecendo cada vez mais as cadeias produtivas, atuando de maneira intensiva no financiamento do mini, pequeno e médio produtor rural. Em números, temos 2018 com 530 milhões de reais destinados aqui no Ceará para o agronegócio, dos quais 309 milhões destinadas a metodologia do Agroamigo, metodologia essa que abarca o antigo PRONAF. É importante ter um crédito produtivo, orientado. O Banco está cada vez mais inserido nesse contexto do desenvolvimento regional. Uma novidade é o lançamento do PRODETER, o Programa de Desenvolvimento Territorial, que também visa fortalecer esse crédito orientado, atuando junto as cadeiras produtivas vocacionais do estado e parceiros como a FAEC, SENAR, CNA, são de suma importância para o desenvolvimento dessa ação do banco.

O Banco tem recursos orçados em torno de 3,5 bilhões envolvendo todos os setores, dos quais parte disso vai ser destinado ao agronegócio para atender a demanda do Plano Safra. Lembrando que as agências do banco no Ceará estão atuando de acordo com a demanda que vai chegando, então o orçamento é aberto. Estamos no momento de discutir o orçamento de 2020, mas para este ano já investimos pouco mais de 300 milhões, o que nos leva a crer que vamos ter um incremento de 10% em relação aos valores aplicados em 2018.

O Plano Safra é o orçamento que o Governo Federal destina e ano após ano você vai trazendo um recurso para períodos como o pós-seca. O cuidado que o banco tem de se inserir ao Plano Safra é levando o FNE e seus recursos e se inserindo dentro da metodologia do governo, que é levar o crédito de maneira adequada e oportuna. De maneira geral, eu diria que se trata de uma ação complementar, onde o banco traz o FNE como instrumento de política e desenvolvimento e se insere no Plano Safra para que a gente possa fazer o desenvolvimento do meio rural.