FAEC COMPLETA 55 ANOS E COMEMORA CONQUISTAS

(Comemoração é adiada devido à pandemia)

 

 

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado Ceará- FAEC completa nesta quarta-feira, 16 de dezembro, 55 anos de fundação, ocasião em que  deveria realizar uma  solenidade de homenagem aos ex-presidentes, especialmente a José Ramos Torres de Melo Filho, que dirigiu a Federação por 21 anos e tem uma larga  folha de serviços prestados à Instituição.

 

Tendo em vista o último Decreto do Governador devido a pandemia do coronavírus, restringindo o número de pessoas em eventos, a solenidade prevista para a data foi adiada para o próximo mês de janeiro, devendo posteriormente ser divulgada, conforme comunicado assinado pelo presidente da Instituição, Flávio Viriato de Saboya Neto

 

A data marcaria também o lançamento de um livro sobre os 25 anos do Pacto de Cooperação da Agropecuária Cearense- AGROPACTO, criado pela Federação em 1995  e que se destaca como uma das suas principais ações, surgindo dali outro importante evento,  o Seminário  Nordestino de Pecuária- Pecnordeste,  que se consolidou como um dos maiores da agropecuária Nordestina e se realiza há 23 anos. O livro tem quatro capítulos e um deles, traz o depoimento de 25 personalidades, a maioria participou  diretamente de uma das suas 866 reuniões, que  estão publicadas na obra, e podem ser acessadas através de um QRCODE.

 

Para o ex-presidente, Torres de Melo, o grande mérito do Agropacto foi promover o diálogo entre o  setor público e o privado, criando uma cultura de participação, baseada nos mesmos princípios do Pacto de Cooperação do Ceará, sendo por estes anos, não somente um centro de debates  mas também de resolução de muitos problemas do segmento agropecuário do Estado, entre elas,  a renegociação das dívidas rurais dos produtores .

 

O atual  Presidente  Flavio Saboya ressalta que a FAEC através do Agropacto conseguiu nestas duas décadas e meia mobilizar as instituições que compõem o sistema agropecuário e agroindustrial do Ceará conseguindo muitas melhorias para o setor de fruticultura, a retomada da cultura do algodão no Estado, a Inclusão de novos Municípios na Região semiárida. A FAEC  também conseguiu ampliar os horizontes dos produtores no tocante  à pesquisa, ao sediar  durante cinco anos, uma área de pesquisa sobre o Bioma Caatinga , no município de Ibaretama, projeto da CNA e Embrapa,  bem como uma Unidade de Referência Tecnológica, para pesquisas de forrageiras resistentes ao semiarido, com a realização de dias de campo, visando a transferência de tecnologias. Em cooperação com o BNB / ETENE encampou outra pesquisa que criou um protótipo de dessalinizador móvel para poços profundos.  Temos certeza que a FAEC tem muitos fatos positivos a comemorar e o Agropacto é sem dúvida um deles.  O Futuro do Agropacto será sempre de crescimento, respeito e da contínua defesa do agronegócio cearense, disse Flávio  Saboya.

 

Sobre a FAEC

 

A FAEC  é originária da  Federação das Associações Rurais do Estado do Ceará – FAREC,  fundada em 31 de agosto de 1951, pelo Decreto-Lei 8.127. Teve seu  nome alterado para  Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará -FAEC, pela Lei 4.212, de 2 de março de 1963 e  sua Carta Sindical reconhecida pelo  -MTPS- 117705   em 16 de dezembro de 1965, e também pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil- CNA, publicada no Diário  Oficial do dia 14/04/1966. Inicialmente, teve uma junta governativa composta por dois membros, Lair Antonino da Silva (Presidente) e José Walter de Araújo (Tesoureiro), conforme consta na sua Ata de  fundação.

De 1968 até os dias atuais teve cinco presidentes, o primeiro foi José Walter Araújo (1968-1974), 2o: José Wagner Pereira (1974 a 1980), o 3o: Elias  Leite Fernandes (1980-1989)- os três In memorian. O 4o  presidente: José Ramos Torres de Melo Filho, no período de 1989 a 2010  e Flávio Viriato de Saboya (2011-2021), o quinto e atual dirigente.

A FAEC HOJE:

 

Atualmente a FAEC atua em conjunto com 50 Sindicatos Rurais, espalhadas por diversas regiões do Estado. Através do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural- SENAR oferece cursos em diversas áreas de formação profissional rural e de Promoção Social aos produtores e suas famílias, tudo de forma gratuita. Desde 2015 passou a oferecer assistência técnica e gerencial, ampliando o benefício desde o ano  passado, em conjunto com o programa AgroNordeste do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento- MAPA.  Atua  também na educação  superior em cooperação com a Faculdade CNA, com um Polo em Fortaleza, e outros dois nos Municípios de Quixadá e Ubajara, oferecendo cursos de nível superior em quatro áreas do Agronegócio.

 

Outro programa de destaque da FAEC é o AGRINHO, uma ação educativa para  jovens da zona rural , realizada com a participação de escolas municipais e estaduais, levando informações que complementam a grade curricular e que promovem a Inclusão no campo, como  Meio Ambiente, Saúde, Cidadania, cooperativismo.

 

Através de seu Departamento Sindical, a FAEC oferece toda orientação aos produtores em questões trabalhistas, previdenciárias, empréstimos e renegociação de dívidas rurais.